COMPARTILHE ESTA PUBLICAÇÃO

10/08/2018

RESUMO 3 DE CONTABILIDADE DE CUSTOS

Manuel Pinon

SISTEMAS DE PRODUÇÃO

 

1 – Produção por ordem (ou encomenda)

 

Esse tipo de produção ocorre quando a empresa fabrica produtos diferentes, normalmente em pequenas quantidades, pois em regra atende pedidos específicos dos clientes. Ou seja, praticamente atende a uma encomenda específica de um cliente.

 

Bons exemplos da produção por encomenda são a indústria naval e a indústria que produz equipamentos específicos.

 

Na produção por ordem os custos são acumulados por ordem de produção ou ordem de fabricação.

 

Na verdade, para cada produto existe uma espécie de “ficha” em que são lançados esses custos. Essas fichas são as tais ordens de produção ou ordens de fabricação, que dão o nome de Produção por ordem (ou encomenda).

 

Podemos concluir, portanto, que a soma das Ordens de Produção em aberto representa o Estoque dos Produtos em Processo.

 

2 - Produção contínua ou por processo (ou em série)

A ideia inicial básica para entendermos o que vem a ser uma indústria de produção contínua, é imaginarmos aquela unidade industrial que fabrica continuamente produtos com as mesmas características (tamanhos, cores, modelos, etc.).

 

Diferentemente de um barco, em que o cliente faz várias exigências ou “customizações” típicas da produção por ordem ou por encomenda, na produção contínua o cliente escolhe e compra o que a fábrica produz para qualquer cliente.

 

Pense na compra de uma simples caneta azul básica. Ela é um bom exemplo de um sistema de produção denominado contínuo, em série ou por processo.

 

Em cada período, essa indústria de produção contínua pode ter em estoque unidades que correspondam a:

·         Produtos iniciados em período anterior e que foram acabados no período atual, ou ainda, que serão acabados somente em período posterior;

·         Produtos iniciados e acabados dentro do período atual;

·         Produtos iniciados no período atual, mas que só serão acabados em período posterior.

 

Diante desse fato, não é adequado atribuir-se apenas às unidades acabadas os custos incorridos em determinado período, já que esses custos também são aplicados a unidades vindas de período anterior e a unidades iniciadas, mas não acabadas do período.

 

A solução para esses complicadores reais é o cálculo dos custos de produção das unidades acabadas por meio da técnica do custo equivalente de produção, de modo que elas correspondam aos custos que foram efetivamente necessários à sua produção.

veja também