10/10/2018

ICMS-SC - Auditoria - Conciliação bancária

Arthur Leone

Recomposição do fluxo de caixa

Análise da conta Bancos

 

Caros amigos, já está disponível a aula 04 de Auditoria (Parte contábil) para o ICMS-SC. Veja um dos temas abordados:

O nosso edital trouxe como um dos temas em auditoria a recomposição dos fluxos de caixa da empresa.

Isso envolve identificar lançamentos fictícios (erro ou fraude) nas disponibilidades (Caixa, Bancos, aplicações de alta liquidez).

Fique atento pois ao dizer “Caixa”, estamos na verdade nos referindo ao grupo disponível e não apenas a contas caixa isoladamente.

Para fazer a recomposição dos fluxos de caixa de uma empresa, em alguns casos vamos precisar recorrer à conciliação bancária (CB). A CB é um confronto entre o razão da conta bancos com o extrato bancário. Isso nos permite identificar lançamentos que estão em um dos documentos e não estão em outros. Consequentemente, identificaremos erros e fraudes.

A FCC já cobrou em prova a resolução de uma conciliação bancária com alguns cálculos. Importante trazer um exemplo prático para praticarmos juntos, pois existe uma possibilidade de muitas questões práticas de auditoria no ICMS-SC. A referida questão apareceu em prova do TJ-PI, veja os fatos:

“Em 31/12/2008, o extrato bancário da conta corrente que a Cia. Delta mantém junto ao Banco Épsilon demonstrava um saldo credor de R$47.600,00. Em sua escrituração contábil, o saldo da mesma conta corrente era devedor em R$45.530,00. O auditor independente, por meio da análise do extrato bancário, apurou os seguintes fatos não registrados na contabilidade:

I. aviso de lançamento a débito, efetuado pelo banco, de R$680,00, relativo a contas de luz e de telefone;

II. aviso de lançamento a débito de R$2.000,00, em virtude de devolução de duplicata descontada por falta de pagamento do sacado;

III. devolução de cheques de terceiros, depositados pela companhia, no valor de R$1.450,00, em virtude de insuficiência de fundos;

IV. aviso de crédito de duplicata de emissão da companhia em cobrança no banco, no valor de R$ 4.500,00, mais os juros pelo atraso no paga­mento de R$ 200,00. No processo de conciliação bancária, o auditor verificou, também, que havia cheques emitidos pela companhia, ainda não descontados junto ao banco, no valor de R$ 2.700,00 e depósitos efetuados em cheque que ainda não tinham sido creditados na conta da sociedade pelo banco, em virtude de sua compensação, no valor de R$ 1.200,00. Logo, o saldo correto da mencionada conta corrente, em 31/12/2008, encontrado pelo auditor após a conciliação bancária, é (em R$) igual a R$_____?”

Veja que é uma típica questão de auditoria aplicada! Precisamos chegar ao saldo conciliado!

Existe um macete para fazer a CB. Separe créditos de um lado e débitos do outro criando 4 grupos

(1) débitos no razão, (2) débitos no extrato, (3) créditos no razão e (4) créditos no extrato. Veja que é bem simples, nada mais é do que identificar o que consta em um e não consta em outro.

Vamos montar uma tabela para distribuir os valores:

(1) Saldo razão

   45.530,00

 

 

Nós debitamos e o banco não creditou

 

Cheques recebidos

     1.200,00

 

 

O banco debitou e nós não creditamos

 

Luz e água

         680,00

Devolução duplicata descontada

     2.000,00

Devolução cheques recebidos de terceiros

     1.450,00

 

 

(2) Soma dos débitos

     5.330,00

Nós creditamos e o banco não debitou

 

Cheques emitidos

     2.700,00

O banco creditou e nós não debitamos

 

Créditos de duplicadas recebidas

     4.500,00

Juros sobre duplicatas recebidas

         200,00

(3) Soma dos créditos

     7.400,00

Saldo do extrato (1-2+3)

   47.600,00

 

Veja que no cálculo que fizemos, começamos com o saldo do razão e chegamos ao saldo que consta no extrato.  Quando o saldo no final “bate” com o extrato bancário, temos a certeza que não erramos no cálculo, mas não terminamos ainda! Mas agora está fácil, é só descobrir o que ficou faltando ou sobrando na contabilidade, veja:

Saldo....................................45.530

- créditos..............................4.130

+ débitos..............................4.700

Saldo Contábil......................46.100

 

Observe que R$ 2700 e R$ 1.200 já estão lançados na contabilidade, por­tanto não requerem ajustes. Por outro lado, não foram contabilizados os lançamentos a crédito de R$ 680, R$ 2000 e R$ 1450; e os lançamentos a débito de R$ 4500 e R$ 200. Assim, após tais ajustes, o saldo que deverá constar na contabilidade é R$ 46.100.

 

Para vc que pretende se dedicar aos concursos fiscais em 2018/19, ICMS-RS, ICMS-BA, ICMS-AL, SEFAZ-DF e RFB, aproveite para conferir a segunda edição do nosso livro de auditoria, atualizado 2018 AQUI



Confira nosso curso de Auditoria ( parte contábil) para o ICMS-SC AQUI

Até mais

 

Arthur Leone

COMPARTILHE ESTA PUBLICAÇÃO

veja também