03/05/2019

Estudar para concurso: Qual a sua metodologia para ser aprovado em concurso público? Tem receita?

Coordenação



Existe fórmula para aumentar a performance do aprendizado? Maneiras de gestão de tempo, de como melhorar a fixação das matérias, prolongar a atenção, rendendo o máximo da sua capacidade e colher a aprovação? Receitas há em demasiado, no entanto, você precisa encontrar a que de fato seja ideal e aplicar na rotina.

Diante disso, perguntamos aos nossos professores quais táticas eles usaram em suas aprovações, e se realmente existe método infalível de estudar para concurso, que você confere ao longo do texto.


Conhecendo o pragmatismo das técnicas famosas

O planejamento das tarefas é a base da preparação de quem quer ser aprovado em concurso público. E o pressuposto é o tipo mais pragmático dos estudantes, aqueles que aplicam técnicas de produtividade tanto para gerir vida pessoal quanto a maratona de concurseiro. Mas algumas pessoas possuem facilidade em conciliar os diversos papéis que desempenham na vida e outras nem tanto, pressuposto para elencar algumas fórmulas de organização famosas que, aplicadas ao estudo, podem orientar o concurseiro até o dia da prova.

  1. Um deles, o getting things done (GTD), do americano David Allen, recomenda quatro passos que o estudante pode inserir no seu estilo de vida. O primeiro processo é chamado de coleta, que consiste em registrar todas as informações fora da cabeça. A ação de listar esses dados funciona como uma caixa de entrada para processar todos os afazeres e analisar como e quando se domina cada conteúdo realisticamente. Nesta etapa, as atividades que demandam mais tempo devem ser organizadas hierarquicamente e executadas para, então, passar pelo processo de revisão. A estratégia aqui é sistematizar e manter uma rotina, limpar a mente, ambiente de estudo e deixar a produtividade fluir. 
  2. Mesmo crítico a metodologia de Allen, o também americano Leo Babauta, desenvolveu um sistema complementar e o nomeou Zen To Done (ZTD). Babauta acredita que o foco do GTD é no sistema e menos nas ações. Já o ZTD atua na mudança de hábitos gradualmente, consequentemente é mais objetivo em realizar as tarefas. Ele adiciona algumas etapas mais flexíveis, que se baseiam em: planejar que significa priorizar; fazer com foco, diferente de sair fazendo aleatoriamente; sistema simples e confiável: revisar as listas diariamente; simplificar e reduzir os objetivos e manter a rotina. Traduzindo a prática como fomento para a concentração, organização, revisão, planejamento e execução dos planos.
  3. Tem até uma metodologia de estudo para concurso que se baseia na técnica do tomate. Isso mesmo. É o método Pomodoro. O nome deriva do cronômetro em forma de tomate utilizado pelo idealizador da ferramenta. A ideia é iniciar a cronometragem em 25 minutos (um pomodori) e, durante esse tempo, começar a estudar uma matéria. Ao soar o alarme, o estudante faz uma parada de 5 minutos e relaxa com alguma outra atividade, após a pausa, passa para o próximo pomodori. A cada 4 pomodori, deve-se aumentar o tempo de descanso, algo em torno de 15 a 30 minutos.

Para aplicar essa técnica você vai precisar de um cronômetro e duas listas: uma de inventário com todo o conteúdo da semana e outra com as tarefas somente do dia. Na lista do dia, você vai fazer uma estimativa de quantos pomodori serão necessários para realizá-las. O pomodori é um método curto e torna quase impossível perder o foco, a indicação é a de que ao terminar a tarefa o estudante se sinta realizado e motivado. 


Fala aí, professor?! Métodos prontos são infalíveis?

“Não, não, eu acho esse Pomodoro aí invenção para gringo vê”, duvida o auditor fiscal e professor André Fantoni. Ele acredita que para concatenar o raciocínio, a recomendação é fazer intervalos após, ao menos, duas horas de estudo. “Cada vez que você recomeça um assunto, perde entre 5 a 10 minutos para entrar no ritmo”, explicou. O que concorda, o também professor e auditor fiscal, Diego Degrazia ao dizer que “O estudo engrena mesmo depois de 30 minutos, imagina parar a cada 25 minutos”. Degrazia afirmou que não recomenda a técnica aos seus orientandos e conclui que encontrar um método de estudo para concurso adequado a seu perfil é bem pessoal. “Depende do aluno e da matéria, mas é legal ter uma metodologia base”, sinalizou.

Para Fantoni, escolher o período também influencia o desempenho, considera a noite o turno ideal por acreditar que há menor intensidade de interferências, mas indica que cada um tem que testar o seu relógio biológico e checar o que funciona melhor para sua concentração. “Não tem WhatsApp, perturbação, não tem ninguém te incomodando e durante o dia estamos mais sujeitos a essas interferências”, disse.

Mas alerta para que o concurseiro evite estudar acima de três horas sem intervalo, o que considera o ciclo ideal para trocar o assunto ou disciplina.  


Recursos e estímulos visuais funcionam?

A primeira dica do professor Degrazia é leitura e marcação dos conteúdos em arquivo PDF. “Gosto de indicar ao estudante assistir uma videoaula para o primeiro contato com disciplinas como Contabilidade, por exemplo”, ensinou. 

Estímulos e recursos fizeram parte do plano de estudos da professora, economista e auditora fiscal da Receita Estadual do Rio Grande do Sul, Vandinara Lopes, por ter adotado diferentes plataformas para se manter concentrada. “Eu mesma utilizei vários recursos em minhas preparações, videoaulas, arquivos em PDF, áudios, e isso variava de acordo com as matérias e com minha disponibilidade de tempo”, enumerou Lopes.

Em suas orientações como professora, ela prefere avaliar o que se enquadra em cada estudante do que utilizar um método preestabelecido. “Acho que isso é o mais acertado: avaliar o perfil do estudante, suas habilidades e suas deficiências, se memoriza mais com estímulos visuais, se tem muita dificuldade com exatas”, adicionou.

Para finalizar, a receita infalível da professora: “O que realmente importa é você sentar e estudar, com seriedade e compromisso. Óbvio que o método adequado, material de qualidade e uma boa orientação para aqueles que necessita pode acelerar bastante o processo de preparação e consequente aprovação”.

COMPARTILHE ESTA PUBLICAÇÃO