19/08/2019

7 orientações para encarar os estudos de Direito Previdenciário com carinho

Coordenação

cestudar para o concurso do INSS

“Só para constar, no concurso de 2012 (FCC), a disciplina [Direito Previdenciário] equivaleu a 67% da nota final e em 2016 (CESPE), nada menos do que 58%. Em suma, ir MUITO bem em Previdenciário é o que se espera do futuro servidor do INSS.”, avisa o engenheiro civil, Auditor-fiscal da Receita Federal e professor de Direito Previdenciário do Portal Silvio Sande, Ali Mohamad Jaha. Valiosa dica de preparação sobre os esperados concursos do Instituto Nacional do Seguro Social, mais conhecido como INSS, e Receita Federal.

Com essa afirmação, podemos abrir o texto e ilustrar 7 orientações para encarar que a disciplina é muito cobrada nas provas, ao mesmo tempo, que com planejamento, seguindo a rotina, estimulando gatilhos mentais positivos e escolhendo o material de estudo certo, o game over para o chefão do concurso do INSS é certo.  

Deixe de lado o clima de tensão geral que paira sobre a tal disciplina e examine os pontos abaixo:

  • Adote uma metodologia

As leis são vivas e conteúdos que trabalham a legislação precisam se atualizar, acompanhando as mudanças que elas vão sofrendo. Se você já usa alguma metodologia, reorganize em torno de Direito Previdenciário. Há diferentestécnicas para aplicar na rotina: estudar o conteúdo original das disciplinas; faça você mesmo os resumos; revisar, revisar e revisar; a técnica da trinca, se você não consegue sozinho, busque ajuda. A experiência confirma que as matérias que mais temos dificuldades ou as que mais carregam o pesa da prova devemos tratar como ponto focal no planejamento dos estudos.

  • Estude continuamente, com antecedência, didática

Você não aguenta mais ouvir que haverá concurso para o INSS e Receita Federal, ok. Mas, como sempre diz a minha vó: onde há fumaça, há fogo!

A divulgação do edital, considerada a iminente realização do concurso, ainda não se sabe.

No entanto, como bom concurseiro que sabemos que você é, concorda conosco que a regularidade dos estudos no período que antecede a divulgação do documento oficial é que produz bons rankings nas provas.

O burburinho aumentou e a carência de pessoal do órgão extrapolou o limite de insuficiência, funcionando com 40% da estrutura, de acordo com o sindicato dos servidores, portanto, aproveite com antecedência para aprofundar os estudos.

  • Conheça a prática de um analista da previdência

Você já se permitiu entender como trabalha o servidor que atua na vaga de seu interesse? Passou pela sua cabeça que as proposições lançadas nas provas podem espelhar o dia a dia daquele servidor? Tente absorver o máximo da prática daquela função. Vá conhecer o órgão, os funcionários de lá, procure materiais que te aproximem da rotina do cargo através da atividade laboral.   

  • Descubra se o seu material de estudo cobre todo o edital

Existem metodologias focadas nos estudos das disciplinas que mais caem nas provas. Como também os que preferem se orientar com todo o conteúdo do edital. Por Direito Previdenciário possuir grande peso nas provas do INSS, consequentemente o edital é cobrado em grande escala. “O objetivo é cobrir, em regra, 100% do edital de qualquer concurso que venha a ser lançado, ou, no pior dos mundos, 98%”, afirma Jaha, que endossa essa máxima na didáticados cursos que desenvolve.

  • Saiba como funciona todos os cargos ou a apenas um?

Como dito acima, estudo regular te permite prestar diversos concursos que achar interessante. Seja como certame fim ou com a finalidade de testar seus conhecimentos, no planejamento e material de estudos que decidir basear seu objetivo invista em materiais que ofereça conteúdo completo, a cobertura dos detalhes fazem toda a diferença na hora da prova. As famosas questões pegadinhas se aproveitam dos pequenos deslizes nos detalhes.

  • Questões

Não é novidade que praticar com questões, -claro que você sabe que é importante se atentar a oferta de treinamento ao estilo da banca organizadora-, faz parte da rotina de quem estuda para concurso.

Responder proposições liga um “clique automático” de como a banca trata os temas, te deixa seguro de que aquele conhecido “branco” ficou mesmo no passado depois dessa metodologia.  

  • Resumos e mapas mentais, pontos divergentes

Entender jurisprudência é interpretar como o assunto é aplicado. O que corrobora com a ideia de estudar regularmente por permitir a fixação do tema, através de pontos divergentes entre o que está posto, o que deveria ser e seu ponto de vista. Na hora dos resumos e montagem dos mapas mentais de reta final vai ser fichinha para a sua aprovação.   

Conheça mais sobre o professor Ali Mohamad Jaha aqui.

COMPARTILHE ESTA PUBLICAÇÃO